Associação dos

A

JOR

B
*Desde 1.971*

Jornais e revistas de

Bairro de S. Paulo

Rua Major Diogo, 622 - CEP:01324-000- Telefone e fax:3242-0270. São Paulo/SP-Brasil

Email: Fale com o presidente da Ajorb  /SITE: http://www.ajorb.com.br/  - CGC:051.750.958/0001-30 - Fundada em 28/abril/1.971
Presidente: Egydio Coelho da Silva

 Entrevista com o Presidente da AJORB em 24 de fevereiro de 2009
Entrevista com o Presidente da AJORB
Nome: Rogério Ramalho da Fonseca
Cidade: São Paulo. Estado: SP. País: Brasil.
 

Bom dia, meu nome é Rogério Ramalho Fonseca, sou estudante de jornalismo e estou fazendo uma matéria sobre jornais de bairro e gostaria de que se fosse possível vocês me respondessem algumas perguntas para que eu pudesse colocar em minha matéria como informação de fonte oficial.
Grato.


Rogério Ramalho da Fonseca: Os jornais de bairros sempre foram veículos que procuraram representar os anseios, vontades e necessidades das populações de bairro ou de regiões mais localizadas da cidade, com o passar dos tempos o jornal de bairro está perdendo sua identidade?

Egydio Coelho da Silva: O jornal de bairro é meio de comunicação comunitária e seu diretor tem as mesmas aspirações e objetivos de sua comunidade.
Portanto, além de ser meio de informação comunitária, também é um instrumento de reivindicação para melhorar a qualidade de vida dos moradores e progresso para o bairro. Ao contrário, o tempo somente aumenta essa identidade.

RRF: É conhecido há algum tempo que o setor de jornais impressos anda em crise financeira. A falta de investimentos nesses veículos pode fazer com que eles se extingam? E se tratando de jornais de bairro, que são veículos de menor porte, como essa situação é avaliada?
ECS: Os problemas financeiros dos jornais de bairro não são diferentes de qualquer pequena e média empresas.
Eles se diferenciam das grandes empresas jornalísticas e correm menos riscos, porque seus custos são menores e o gerenciamento é sempre mais rápido para enfrentar crises. Por isso, em média, os jornais de bairro têm vida longa se comparados com a duração de pequenas e médias empresas que têm outras atividades.
O jornal de bairro não precisa de muito investimento, pois se trata de empresa de prestação de serviço, que contrata serviço de terceiros principalmente para impressão, que seria o investimento maior. Portanto, tem mais condição de enfrentar as crises financeiras. Acredito que quanto menor o jornal, mais facilmente enfrenta a crise, muito embora não se possa generalizar. Não tive conhecimento de jornal que tenha encerrado suas atividades por causa desta crise financeira.

RRF: Com o advento da Internet e sua inserção cada vez maior como forma obtenção de informação, essa situação pode fazer com que os jornais de bairro deixem de publicar e suas tiragens físicas e publiquem suas noticias apenas em seus sites, blogs ou produtos do gênero?

ECS: Os principais jornais de bairro têm site próprio na Internet. Mas diferente do que se pensava, a Internet não substitui o jornal impresso, mas apenas o complementa. Hoje, me parece que manter um jornal apenas na Internet pode funcionar por idealismo e por amor ao jornalismo, mas não dará retorno financeiro que compense.
RRF: Não só nos jornais de bairro mas também em veículos maiores nota-se que há cada vez menos espaço para notícias e cada vez mais espaço para publicidade como isso influência no conteúdo dos jornais e na sua qualidade?
ECS: Parece-me que não existe pesquisa que prove que os jornais de bairro destinavam mais espaços à publicidade do que destinam hoje. A experiência mostra que os jornais que têm mais publicidade também têm mais condições de inserir mais notícias de interesse da comunidade.

RRF: Tratando-se  especificamente dos jornais de bairro, alguns desses veículos tem como donos ou sócios, pessoas influentes como políticos ou candidatos a cargos políticos, grandes comerciantes, redes de lojas ou produtos. Essa situação pode fazer com que em algum momento o conteúdo veiculado nesses jornais possa vir a beneficiar ou exaltar a imagem de uma pessoa ou empresa, ou mesmo denegrir a reputação de concorrentes, pela posição privilegiada de influência nesses veículos?

ECS: Acho que políticos e empresas, que editam jornal para fazer marketing político ou comercial, jogam dinheiro fora.
Eles menosprezam a inteligência do eleitor e do leitor. Normalmente estes veículos duram pouco tempo e não atingem o objetivo a que se propuseram.
Se infringirem a Lei de imprensa e/ou o novo Código Civil por denegrir concorrentes, aí então durarão menos ainda pelo descrédito e por condenações por danos morais.

 

Pagina principal

Volta ao índice de entrevistas do presidente da Ajorb

 

“Se tivesse que decidir se devemos ter governo sem jornais ou jornais sem governo, eu não vacilaria um instante em preferir o último” (Thomas Jefferson).

Clique aqui para ver mais pensamentos e máximas sobre liberdade de imprensa

* Se você se sentir prejudicado com qualquer notícia aqui divulgada eB quiser se utilizar do direito de resposta, favor enviar email de volta, que a sua opinião será divulgada com o mesmo destaque .

 

Máximas sobre liberdade de imprensa e livre manifestação do pensamento:

 

*“Se tivesse que decidir se devemos ter governo sem jornais ou jornais sem governo, eu não vacilaria um instante em preferir o último” (Thomas Jefferson).

 

* “A imprensa, numa vigorosa prestação de serviço, será a memória da cidadania contra o corporativismo de interesses menores, quer no Executivo, Legislativo e Judiciário” (Carlos Alberto Di Franco).

 

“Que o bem da liberdade segue imediatamente os bens da vida e da integridade física, demonstra-se facilmente, pois, a liberdade foi sempre constantemente um dos mais altos fins dos esforços e das aspirações humanas” (Adriano de Cupis).

 

* “Libertas omnibus rebus favorabilior est” ( “Em todos os casos a liberdade é mais favorável”), Brocardo Romano.

 

* “ A imprensa é um dos meios mais importantes de crítica e controle público permanente” (Konrad Hesse)

 

* “A imprensa livre é o olhar onipotente do povo” (Karl Marx).

 

* “A imprensa livre é o espelho intelectual no qual o povo se vê e a visão a si mesmo é a primeira condição da sabedoria” (Karl Marx).

 

“Nossa Constituição Federal (1988) protege, de maneira veemente, o direito de informar, o direito de se informar e o direito de ser informado” (Oduvaldo Donnini, autor do livro “Imprensa livre, dano moral e dano à imagem...pág.206)

 

* “A medida que a comunicação se torna maior e melhor, fica claro que a intolerância é a verdadeira pequenez do homem”, Spielberg

 

* "Toda pessoa tem direito à liberdade de opinião e expressão; este direito inclui a liberdade de, sem interferências, ter opiniões e de procurar, receber e transmitir informações e idéias por quaisquer meios e independentemente de fronteiras" (o artigo XIX da Declaração Universal dos Direitos Humanos-ONU, 10-12-1.948).


"Creio na imprensa sem restrições, porque creio no poder da razão e da verdade".

Rui Barbosa

 

"Infringem a  ética:

o juiz que não julga, 

o promotor que  não denuncia, 

o advogado que não defende, 

o jornalista que não noticia o que sabe ou 

não escreve o que pensa".

Zuel Antônio Costela

 

"Não concordo com uma só palavra do que dizes, mas defenderei até a morte o teu direito de dizê-la".  Voltaire

 

Indenização, em dinheiro, por dano moral somente indeniza a moral de quem não tem moral.

Medeiros de Abreu

 

 

 

Os incisos do artigo 5o. da Constituição abaixo só não garantem a liberdade de imprensa, porque foram "esquecidos" pelos que julgam ações contra a liberdade de imprensa:

 

* "IV - É livre a manifestação de pensamento, sendo vedado o anonimato";

 

* "V - É assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo...";

 

* "IX - É livre a atividade...de comunicação, independentemente de censura e licença";

 

* "XIV - É assegurado a todos o acesso à informação e resguardado o sigilo da fonte, quando necessário ao exercício profissional".