Associação dos

A

JOR

B
*Desde 1.971*

Jornais e revistas de

Bairro de S. Paulo

Rua Major Diogo, 622 - CEP:01324-000- Telefone e fax:3242-0270. São Paulo/SP-Brasil

Email: Fale com o presidente da Ajorb  /SITE: http://www.ajorb.com.br/  - CGC:051.750.958/0001-30 - Fundada em 28/abril/1.971

Presidente: Egydio Coelho da Silva

(Fotos do presidente)

 

 Entrevista com o Presidente da AJORB em 05 de dezembro de 2012
Entrevista com o Presidente da AJORB
Nome: Telma Prado
Cidade: São Paulo. Estado: SP. País: Brasil.

Telma Prado: 
Qual a sua avaliação sobre o atual momento dos jornais de bairro em São Paulo, do ponto de vista editorial e gráfico?
Egydio Coelho da Silva:
Os jornais de bairro têm se adaptado às exigências dos leitores e são bem mais profissionais. Há algum tempo atrás o que se via era um jornalismo mais emotivo e ansioso de apontar e tentar resolver com um artigo todos os problemas de seu bairro.
Era o chamado jornalismo "romântico".

Felizmente ou infelizmente hoje não se pode mais fazer este tipo de jornalismo. Com o avento da Constituição de 1.988, complementada pelo Novo Código Civil, observou-se inclusive na imprensa de circulação estadual e nacional uma preocupação com a legislação que obriga o jornalista a escrever não só o que pensa, mas também ouvir todas as pessoas envolvidas sob pena de penas elevadíssimas aplicadas tanto na empresa como nos próprios jornalistas.

E mais grave ainda, com a extinção da Lei de Imprensa pelo STF, os juízes não raramente aplicam nos jornalistas a pena por crime culposo ou doloso.

E os jornais de bairro também se adaptaram a esta nova situação e procuram publicar as matérias ouvindo todas as pessoas envolvidas, portanto, são hoje mais profissionais.

Quanto à qualidade gráfica, na diagramação em São Paulo há muitos profissionais competentes e os jornais encontram facilidade em sempre melhorar a sua diagramação, com muita criatividade.

E mais ainda: as editoras de revistas e jornais de grande circulação possuem gráficas modernas, que ficam ociosas e se oferecem para imprimir jornais de bairro, que ficam evidentemente com as mesmas qualidades gráficas dos grandes veículos, por preço até abaixo de valor real. 

 

Telma Prado: 
Qual o futuro dos jornais de bairro do ponto de vista informativo, jornalístico e tecnológico?

Egydio Coelho da Silva:
Acredito que os jornais de bairro, por serem comunitários, tendem a aumentar em número, em tiragem e em quantidade de páginas. Sabemos que a notícia sempre tem mais interesse quando o fato acontece próximo do leitor. Em sentido decrescente, é
 maior o interesse pela notícia quando envolve o nome do próprio leitor, de sua família, de seu vizinho, de seu bairro, de sua cidade, de seu Estado, de seu país e de outros países.

A grande imprensa não tem como cobrir os fatos que acontecem em todos os  bairros; aí então a perspectiva de que cada mais os jornais comunitários preencherão essa lacuna.

 

Telma Prado: 
Você acredita que o jornalismo impresso está realmente com os dias contados?

Egydio Coelho da Silva:
Ficou famosa a afirmação de Bill Gates, que disse alguns anos antes, que os jornais impressos não durariam até o ano 2.000.

Ninguém tem bola de cristal, nem ele e passou a maior vergonha.

 

Telma Prado: 
Quais as vantagens do impresso diante da tecnologia da Internet que avança todos os dias?

Egydio Coelho da Silva:
O leitor do jornal impresso escolhe o que quer ler e os viciados em redes sociais são obrigados a perder tempo com informação que conta que o cãozinho de seu amigo ficou resfriado ou receber fotos de netos de sua amiga internauta.

Há uma máxima que diz que: "Quando há muita informação não há comunicação" e os que não sabem utilizar a Intenet ficam nessa situação.

Em recente entrevista Thomas Traunam, ministro das Comunicações, afirmou que pesquisas feitas pelo seu Ministério constatou que “a confiança nos jornais impressos sobe e na Internet cai”.

A Internet é antes de tudo uma grande facilidade para se  pesquisar e, por isso, os jornalistas são talvez os profissionais que mais a utilizam como instrumento de trabalho.

E os jornais regionais são os que mais proveito tiraram da Internet. Eu mesmo, que tenho jornal de bairro e também na cidade de Assis-SP, um diário, Voz da Terra, que fundei há mais de 51 anos, fiquei empolgado, quando percebi que meus jornais que circulavam apenas na sua região passaram a ser lidos no mundo inteiro, principalmente por moradores do bairro do Bixiga e da cidade de Assis, que estão fora de sua cidade.  E não são poucos, pois eu até mantenho com eles trocas de mensagens por emails, as quais são inclusive publicadas nos jornais impressos.

   

Pagina principal

Volta ao índice de entrevistas do presidente da Ajorb

 

“Se tivesse que decidir se devemos ter governo sem jornais ou jornais sem governo, eu não vacilaria um instante em preferir o último” (Thomas Jefferson).

Clique aqui para ver mais pensamentos e máximas sobre liberdade de imprensa

* Se você se sentir prejudicado com qualquer notícia aqui divulgada eB quiser se utilizar do direito de resposta, favor enviar email de volta, que a sua opinião será divulgada com o mesmo destaque .

 

Máximas sobre liberdade de imprensa e livre manifestação do pensamento:

 

*“Se tivesse que decidir se devemos ter governo sem jornais ou jornais sem governo, eu não vacilaria um instante em preferir o último” (Thomas Jefferson).

 

* “A imprensa, numa vigorosa prestação de serviço, será a memória da cidadania contra o corporativismo de interesses menores, quer no Executivo, Legislativo e Judiciário” (Carlos Alberto Di Franco).

 

“Que o bem da liberdade segue imediatamente os bens da vida e da integridade física, demonstra-se facilmente, pois, a liberdade foi sempre constantemente um dos mais altos fins dos esforços e das aspirações humanas” (Adriano de Cupis).

 

* “Libertas omnibus rebus favorabilior est” ( “Em todos os casos a liberdade é mais favorável”), Brocardo Romano.

 

* “ A imprensa é um dos meios mais importantes de crítica e controle público permanente” (Konrad Hesse)

 

* “A imprensa livre é o olhar onipotente do povo” (Karl Marx).

 

* “A imprensa livre é o espelho intelectual no qual o povo se vê e a visão a si mesmo é a primeira condição da sabedoria” (Karl Marx).

 

“Nossa Constituição Federal (1988) protege, de maneira veemente, o direito de informar, o direito de se informar e o direito de ser informado” (Oduvaldo Donnini, autor do livro “Imprensa livre, dano moral e dano à imagem...pág.206)

 

* “A medida que a comunicação se torna maior e melhor, fica claro que a intolerância é a verdadeira pequenez do homem”, Spielberg

 

* "Toda pessoa tem direito à liberdade de opinião e expressão; este direito inclui a liberdade de, sem interferências, ter opiniões e de procurar, receber e transmitir informações e idéias por quaisquer meios e independentemente de fronteiras" (o artigo XIX da Declaração Universal dos Direitos Humanos-ONU, 10-12-1.948).


"Creio na imprensa sem restrições, porque creio no poder da razão e da verdade".

Rui Barbosa

 

"Infringem a  ética:

o juiz que não julga, 

o promotor que  não denuncia, 

o advogado que não defende, 

o jornalista que não noticia o que sabe ou 

não escreve o que pensa".

Zuel Antônio Costela

 

"Não concordo com uma só palavra do que dizes, mas defenderei até a morte o teu direito de dizê-la".  Voltaire

 

Indenização, em dinheiro, por dano moral somente indeniza a moral de quem não tem moral.

Medeiros de Abreu

 

 

 

Os incisos do artigo 5o. da Constituição abaixo só não garantem a liberdade de imprensa, porque foram "esquecidos" pelos que julgam ações contra a liberdade de imprensa:

 

* "IV - É livre a manifestação de pensamento, sendo vedado o anonimato";

 

* "V - É assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo...";

 

* "IX - É livre a atividade...de comunicação, independentemente de censura e licença";

 

* "XIV - É assegurado a todos o acesso à informação e resguardado o sigilo da fonte, quando necessário ao exercício profissional".