Email ao jornal Agora São Paulo

                                                                                             São Paulo, 10 de julho de 2.000

          De: Egydio Coelho da Silva, presidente da AJORB
           Para: Guto Gonçalves (Jornal "Agora São Paulo")

           Ref.: Jornais de bairro



Agradeço a referência simpática de que "os jornais de bairro têm muita aceitação na comunidade".
A notícia de que Campos Machado apresentou projeto na Assembléia Legislativa autorizando o Governo do Estado a destinar "50% dos gastos com publicidade em jornais de bairro e em órgão de comunicação do Interior" é muito estranha.
O Governo do Estado nunca destinou sequer 0,5% (meio por cento) para jornais de bairro de seus gastos com publicidade.
Acho que o Deputado Campos Machado ajudaria mais os jornais de bairro se orientasse sua bancada na Câmara Municipal a aprovar proposta que destinasse 20% dos gastos com publicidade municipal aos jornais de bairro, como a AJORB vem pleiteando da Prefeitura de São Paulo, mas infelizmente o máximo que conseguimos foi 2%, (dois por cento) quando Paulo Maluf foi prefeito de São Paulo.
Nem por isso, o ex-prefeito tem sido poupado de crítica nos jornais de bairro, mesmo porque todo jornalista é, antes de tudo, um idealista. Se assim não fosse, procuraria ter outra atividade mais lucrativa do que escrever em favor de sua comunidade.
Gostaria de informar também ao prezado Colega que os jornais de bairro têm procurado aumentar a sua tiragem e a maioria têm tiragem e penetração nos bairro bastante altas, mas, infelizmente, o IVC não aceita inscrição de veículos que são distribuídos gratuitamente.
Gostaria de que o Colega visitasse nossa website: www.ajorb.com.br onde constam o nosso Código de Ética e os Estatutos Sociais.
Sem mais, renovo m/agradecimentos pela sua simpatia para com os jornais de bairro.



| O que é AJOR | Associados | Representados | Mídia em geral |
| Mídia Política | Fale Conosco |

AJORB - Associação de Jornais de Bairro
Rua. Major Diogo, 622 - São Paulo - Brasil
Fone: (011) 3107-6702
Telefax: (011) 232-0270